São Joaquim e Sant’Ana

Com alegria, celebramos, hoje, a memória dos pais de Nossa Senhora: São Joaquim e Sant’Ana. Em hebraico, Ana exprime “graça” e Joaquim equivale a “Javé prepara ou fortalece”.

Alguns escritos apócrifos narram a respeito da vida desses que foram os primeiros educadores da Virgem Santíssima. Também os Santos Padres e a Tradição testemunham que São Joaquim e Sant’Ana correspondem aos pais de Nossa Senhora. Sant’Ana teria nascido em Belém. São Joaquim na Galileia. Ambos eram estéreis. Mas apesar de enfrentarem esta dificuldade, viviam uma vida de fé e de temor a Deus.

O Senhor então os abençoou com o nascimento da Virgem Maria e, também segundo uma antiga tradição, São Joaquim e Sant’Ana já eram de idade avançada quando receberam esta graça. A menina Maria foi levada mais tarde pelos pais Joaquim e Ana para o Templo, onde foi educada, ficando aí até ao tempo do noivado com São José.

A data do nascimento e morte de ambos não possuímos, mas sabemos que vivem no coração da Igreja e nesta são cultuados desde o século VI.

Fonte: Canção Nova

Santa Paulina

Comemoramos a santidade de vida da naturalizada brasileira Amábile Lúcia Visintainer, hoje, Santa Madre Paulina, que nasceu no dia 16 de dezembro de 1865, em Vigolo Vattaro (Itália). Os pais de origem simples, eram cristãos.

Em setembro de 1875, com apenas 10 anos de idade, emigrou com seus pais para o Brasil, dirigindo-se para o Estado de Santa Catarina, no atual município de Nova Trento, onde deram início à localidade de Vígolo.

Após receber a sua primeira comunhão, com cerca de 12 anos, começou a participar do apostolado paroquial, catequizando os pequenos e visitando os doentes.

Santa Paulina, antes de entrar para a vida consagrada, dedicou-se religiosamente em cuidar de uma senhora com câncer; a partir dessa experiência caridosa, deu-se a descoberta do carisma que fora reconhecido, em 1895, pelo bispo de Curitiba, Paraná, com o nome de Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição.

Em 1903, foi eleita superiora geral por toda a vida pelas irmãs da nascente congregação. Deixou Nova Trento e estabeleceu-se em São Paulo, no Bairro Ipiranga, onde se ocupou de crianças órfãs, filhos de ex- escravos e dos escravos idosos e abandonados.

Foram anos marcados pela oração, pelo trabalho e sofrimento, tudo feito e aceito para que a Congregação das Irmãzinhas fosse adiante.

A partir de 1938, Madre Paulina começou a acusar graves distúrbios, porque estava com diabetes. Após duas cirurgias, nas quais sofreu amputação do dedo médio e depois do braço direito, passou os últimos meses vítima de cegueira. Morreu no dia 9 de julho de 1942, e suas últimas palavras foram: “Seja feita a vontade de Deus”.

Foi beatificada pelo Papa João Paulo II, no dia 18 de outubro de 1991, em Florianópolis, Estado de Santa Catarina, Brasil.

Na oração litúrgica da Igreja, é pedido a Deus para que nós sejamos fiéis à virtude do serviço, motivados pelo amor, virtude essa que mais brilhou no coração da virgem Paulina do Coração Agonizante de Jesus.

Santa Paulina, rogai por nós!

Fonte: Canção Nova

NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO

A devoção a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro começou a ser propagada a partir de 1870 e espalhou-se por todo o mundo. Trata-se de uma pintura do século XIII, de estilo bizantino. Segundo a tradição, foi trazida de Creta, Grécia, por um negociante. E, desde 1499, foi honrada na Igreja de São Mateus in Merulana.

Em 1812, o velho Santuário foi demolido. O quadro foi colocado, então, num oratório dos padres agostinianos. Em 1866, os redentoristas obtiveram de Pio IX o quadro da imagem milagrosa. Nossa Senhora do Perpétuo Socorro foi colocada na Igreja de Santo Afonso, em Roma. De semblante grave e melancólico, Nossa Senhora traz no braço esquerdo o Menino Jesus, ao qual o Arcanjo Gabriel apresenta quatro cravos e uma cruz. Ela é a senhora da morte e a rainha da vida, o socorro seguro e certo dos que a invocam com amor filial.

Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, rogai por nós!

Fonte: Canção Nova

13 anos da passagem do Padre Geraldo

Crédito: Professor Mário Angelo

Padre Geraldo. Presente, na fé e em nossos corações.

Há 13 anos, em 22 de agosto do ano de 2007, dia de Nossa Senhora Rainha, Padre Geraldo Dantas Pereira passava à eternidade, após dias de internamento na capital cearense. O Padre que também exercia o papel de Pai, guia espiritual e orientador dos pedrabranquenses, ainda se preocupava com o bem estar social da comunidade de Pedra Branca, isso, desde sua chegada, muito jovem, na década de 1960. Essa que seria sua primeira e única Paróquia na qual passaria mais de 50 anos a frente.

Ainda com a saudade humano no peito, nos vem o conformo espiritual de que nosso querido Padre Geraldo, no Descanço na glória de Deus Pai, no Céu, intercede por todos, especialmente pelos mais necessitados.

Memórias de um Homem de Fé

Capítulo XXIII – O chamado do Pai

Há exatos treze anos, Padre Geraldo passava para a eternidade.

Memórias de um Homem de Fé

    22/08/2007

 

Hoje, quarta-feira, dia 22 de agosto de 2007, dia em que a Santa Igreja celebra NossaSenhora Rainha, por volta das 12 horas, meio dia, o nosso querido Vigário Padre Geraldo Dantas Pereira nos deixou. O Senhor o chamou para junto de si. Depois de mais de cinquenta anos de vida dedicando seu trabalho na atuação como pastor ao serviço de Deus em prol do nosso povo pedrabranquense, com serviços voltados à evangelização e ao bem comum, o querido Padre Geraldo, agora, descansa em Cristo Jesus.

Os últimos dias da vida terrena de Padre Geraldo, a exemplo da vida de Jesus Cristo, dos mártires e de muitos dos que ainda hoje, aqui na terra sofrem antes da passagem para a eternidade, foi de muito sofrimento, com dores e a doação de si mesmo em honra e louvor ao Deus Criador.

Neste momento de perda para…

Ver o post original 299 mais palavras

Oração a Deus por intercessão de Padre Geraldo

cropped-13625386_1334376639936003_7386012537580448716_n

Senhor Nosso Deus, neste momento tão difícil à humanidade, nos dirigimos à Ti, Pai de misericórdia e bondade. Pedimos, ainda em meio as muitas dúvidas quanto ao que virá pela frente, a intercessão do querido Padre Geraldo, Teu servo, ele que sempre rogou Vossas graças para o povo, de modo especial, àqueles que mais necessitavam.
Agora, Deus da vida e Todo Poderoso, cuida, guia e orienta Vosso povo, tanto espiritual como corporalmente. Amém.

 

 

Se estivesse em nosso meio, hoje Padre Geraldo havia feito 95 anos

Nesta data, 13 de novembro de 2019,  se ainda estivesse em nosso meio, o querido Padre Geraldo Dantas Pereira completaria 95 anos de existência terrena.

Hoje, aqui em Pedra Branca, Ceará, foi feriado municipal em memória desse homem (Servo de Deus e de Maria Santíssima) que tanto construiu no campo espiritual, social e intelectual de nosso povo.

 

 

Observação: postado já no dia 14.

12 anos de saudade!

images

Hoje, quinta-feira, dia 22 de agosto de 2019, data em que se celebra Nossa Senhora Rainha, faz exatamente 12 anos da passagem de nosso querido Padre Geraldo Dantas Pereira.

O sentimento que nos vêm é o de saudade, falta, até, mas, pela certeza que a fé nos traz, também nos vêm o conforto de que o querido Padre Geraldo estar na Glória de Deus e que, com a Virgem Maria, a quem tanto amou e propagou em vida, segue intercedendo junto ao Deus vivo e verdadeiro por todos os seus queridos e necessitados filhos espirituais.

Padre Geraldo, ‘sempre vivo, em Deus e nos nossos corações’.

 

 

O JAZIGO DE PADRE GERALDO

IMG-20190504-WA0004Logo quando foi anunciado o falecimento de Padre Geraldo, os membros da Igreja local, aqui de Pedra Branca, passaram a aprontar o local em que seu corpo seria enterrado.

O lugar exato em que permanece o corpo do Sacerdote é examente à direita da porta principal (porta central) de entrada da Igreja Matriz; imediatamente ao entrar. Após depositado o corpo de Padre Geraldo, e tendo toda a multidão novamente olhado para ele, já depous de baixad o caixão, o mesmo foi fechado e lacrado. Bem em cima da cova em que o corpo do Padre foi posto no jazigo, foi colocada uma pedra de mármore com as datas de Nascimento e Morte do Vigário e, na parede ao lado, foi colocada uma foto de quando Padre Geraldo foi recebido no Vaticano pelo Papa João Paulo II, no início da década de 1980.

Como houve a reforma da Igreja Matriz de Pedra Branca – Ceará, do ano de 2016 ao ano de 2017, a Padra que era posta sobre o lugar em que se encontra o corpo do querido Padre Geraldo foi retirada e colocado um piso, uniforme, de mármore, em toda a Igreja. Agora, para honra e glória do nome Santo de Deus, nessa semana, mais precisamente onte-ontem, dia 03 de maio de 2019, nosso Vigário Padre Antônio Menezes, filho de Pedra Branca e que teve o incentivo ao Sacerdócio de Padre Geraldo, mandou colocar, no mesmo local onde foi sepultado seu corpo, uma nova pedra de mármore, com uma Cruz sobre ela e uma placa, na parede, com a identificação do saudoso Padre e datas, de nascimento e passagem para junto de Deus Pai.

Ficando, outra vez, bem visivel à todos os que entrarem na Igreja Matriz, e todos os fiéis de Deus que alí visitarem o local de lembrança do querido Padre Geraldo que por 51 anos permaneceu pastoreando o rebanho à ele confiado, a população Católica de Pedra Branca.

 

IMG-20190504-WA0003IMG-20190504-WA0005

Nossa Senhora da Imaculada Conceição – 8 de dezembro

Esta verdade, reconhecida pela Igreja de Cristo, é muito antiga. Muitos padres e doutores da Igreja oriental, ao exaltarem a grandeza de Maria, Mãe de Deus, usavam expressões como: cheia de graça, lírio da inocência, mais pura que os anjos.

A Igreja ocidental, que sempre muito amou a Santíssima Virgem, tinha uma certa dificuldade para a aceitação do mistério da Imaculada Conceição. Em 1304, o Papa Bento XI reuniu na Universidade de Paris uma assembleia dos doutores mais eminentes em Teologia, para terminar as questões de escola sobre a Imaculada Conceição da Virgem. Foi o franciscano João Duns Escoto quem solucionou a dificuldade ao mostrar que era sumamente conveniente que Deus preservasse Maria do pecado original, pois a Santíssima Virgem era destinada a ser mãe do seu Filho. Isso é possível para a Onipotência de Deus, portanto, o Senhor, de fato, a preservou, antecipando-lhe os frutos da redenção de Cristo.

Rapidamente a doutrina da Imaculada Conceição de Maria, no seio de sua mãe Sant’Ana, foi introduzido no calendário romano. A própria Virgem Maria apareceu em 1830 a Santa Catarina Labouré pedindo que se cunhasse uma medalha com a oração: “Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós”.

No dia 8 de dezembro de 1854, através da bula Ineffabilis Deus do Papa Pio IX, a Igreja oficialmente reconheceu e declarou solenemente como dogma: “Maria isenta do pecado original”.

A própria Virgem Maria, na sua aparição em Lourdes, em 1858, confirmou a definição dogmática e a fé do povo dizendo para Santa Bernadette e para todos nós: “Eu Sou a Imaculada Conceição”.

Nossa Senhora da Imaculada Conceição, rogai por nós!

 

Fonte: Site: Canção Nova